segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Estreamos VIDAS ÍNTIMAS de Noël Coward! Esta 5ª, 31 de Outubro, no Teatro Municipal de Vila Real. E vamos andar por aí. Guarda, Porto, Aveiro, Ponte de Lima, Póvoa de Varzim, Setúbal, Santarém, Braga, Coimbra, Viana do Castelo, Viseu, Torres Vedras e, finalmente, Lisboa. No Teatro da Politécnica preparamos VEMO-NOS AO NASCER DO DIA de Zinnie Harris. Na 4ª 6 de Novembro às 19h00. E pelas 21h00 inauguramos a exposição RETRATO DE UM RAPAZ de João Gabriel. E não se esqueça de assinar os Livrinhos de Teatro para 2020!


VIDAS ÍNTIMAS de Noël Coward Tradução Miguel Esteves Cardoso Com Rúben Gomes, Rita Durão, Tiago Matias, Vânia Rodrigues, Isabel Muñoz Cardoso Cenário e figurinos Rita Lopes Alves José Manuel Reis Luz Pedro Domingos Encenação Jorge Silva Melo Produção Artistas Unidos Co-Produção Teatro Nacional São João e Centro Cultural de Belém M12

No Teatro Municipal de Vila Real a 31 de Outubro de 2019

No Teatro Municipal da Guarda a 9 de Novembro de 2019

No Porto, no Teatro Nacional São João de 14 de Novembro a 1 de Dezembro de 2019
No Teatro Aveirense a 6 de Dezembro de 2019
Em Ponte de Lima, no teatro Diogo Bernardes a 14 de Dezembro de 2019
Na Póvoa de Varzim, no Cine-Teatro Garrett a 4 de Janeiro de 2020
Em Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 11 de Janeiro de 2020
Em Santarém, no Teatro Municipal Sá da Bandeira a 18 de Janeiro de 2020

Em Braga, no Theatro Circo a 24 de Janeiro de 2020
Em Leiria, no Teatro José Lúcio da Silva a 6 de Fevereiro de 2020
Em Coimbra, no Convento S. Francisco a 8 de Fevereiro de 2020
Em Viana do Castelo, no Teatro Sá de Miranda a 15 de Fevereiro de 2020
Em Viseu, no Teatro Viriato a 21 e 22 de Fevereiro de 2020
No Teatro-Cine de Torres Vedras a 28 de Fevereiro de 2020

Em Torres Novas, no Teatro Virgínia a 29 de Fevereiro de 2020
No CCB – Centro Cultural de Belém de 4 a 9 de Março de 2020

Devem ser muito raras as pessoas que são completamente normais, lá no fundo das vidas privadas de cada um. Tudo depende de um dado conjunto de circunstâncias. Se todas as geringonças cósmicas se fundem ao mesmo tempo e se solta a faísca certa, sabe-se lá o que uma pessoa não será capaz de fazer.

Noël Coward, Vidas Íntimas

"A frivolidade só é frívola para aqueles que não são frívolos", diz a Madame De na obra-prima de Max Ophüls. E podia aplicar-se a este teatro de dinner jackets, champanhe, rosas, camélia e muita malícia. Mas vistas agora estas Private Lives são uma das mais cruéis análises das relações matrimoniais. Sob a doçura de uma primavera na Cote d´Azur quanto veneno, quanta maldade, quanto amor perdido? Uma obra-prima que queremos revisitar, um grande autor "menorizado" e fundamental. Depois de Pinter, Williams, Miller, quem? E com um sorriso de compreensão pelas fraquezas humanas.
Jorge Silva Melo
Fotografia © Jorge Gonçalves



VEMO-NOS AO NASCER DO DIA de Zinnie Harris Tradução Francisco Frazão Com Andreia Bento  e Joana Bárcia Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Assistência de Encenação Inês Pereira Encenação Pedro Carraca Uma produção Artistas Unidos M14

No Teatro da Politécnica de 6 de Novembro a 14 de Dezembro
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. 16h00 e às 21h00

Helen Eu tinha-te ajudado se pudesse.
Robyn Também eu. Já disse que está tudo bem.
Helen Teria nadado de volta para te ir buscar. Teria feito tudo por ti, só que -

Zinnie Harris, Vemo-nos ao nascer do dia

Estamos junto ao mar, e houve um naufrágio. Duas mulheres. Uma delas vê a outra surgir na neblina. Tentam reconstruir o que se passou para perceber como chegaram ali e como podem voltar a terra. Mas nada é o que parece. Quem já perdeu alguém perceberá este desejo de mais uns minutos com a pessoa amada.

Meet me at Dawn é uma peça sobre o amor e o luto. Queria que a peça tivesse uma relação com o mito de Orfeu e Eurídice, um mito criado para abordar a impossibilidade da morte; quando alguém morre, simplesmente não conseguimos aceitar que nunca mais veremos essa pessoa. Mas, e se pudéssemos ver essa pessoa mais uma vez? A forma não naturalista do teatro permite-nos imaginar um pouco de pó mágico e apresentar essa possibilidade.”

Zinnie Harris
Fotografia © Jorge Gonçalves


sem título , acrílico sobre papel, 65x50 cm , 2019

RETRATO DE UM RAPAZ de João Gabriel

No Teatro da Politécnica de 6 de Novembro a 14 de Dezembro
3ª a 6ª das 17h00 | Sáb. das 15h00 até ao final do espectáculo

Inauguração a 6 de Novembro às 21h00

Retrato de um rapaz, título muitas vezes oferecido a pinturas em que o tempo se encarregou de tornar impossível a identidade do retratado. Aqui, aproprio-me desse título porque acho que, embora não sendo retratos, todos os rapazes destas pinturas são o mesmo sem que sejam, concretamente, alguém.

João Gabriel


Apoio:
 Fundação Calouste Gulbenkian




Vamos continuar com os Livrinhos de Teatro. Em 2020, queremos editar 10 volumes. Enviaremos 4 remessas durante o ano. Sem portes de correio. Mas, se preferir levantar os seus livros no Teatro da Politécnica, oferecemos-lhe 1 bilhete para qualquer espectáculo dos Artistas Unidos no Teatro da Politécnica em 2020.

Quanto tem de pagar? 50 euros no acto da assinatura. Por transferência bancária IBAN PT50 0007 0018 00257 880006 19


FEVEREIRO

Ödon von Horvath - Noite Italiana/ Fé, Esperança e Caridade
Jean Cocteau – A Águia Das Duas Cabeça/ Os Pais Terríveis

MAIO

Lluïsa Cunillé – Dinamarca/ Sul/ Boria
Roger Vitrac - Victor ou as Crianças no Poder
Ricardo Neves-Neves - Swimming Pool Party/ Banda Sonora

SETEMBRO

García Lorca - A Casa de Bernarda Alba/ Bodas de Sangue
García Lorca - Mariana Pineda/ A Sapateira Prodigiosa
Giovanni Testori – Conversa com a Morte

NOVEMBRO

Yannis Mavritsakis – V.I.T.R.I O.L./ Ponto Cego
Witold Gombrowicz -Opereta / História

Sem comentários:

Publicar um comentário