segunda-feira, 15 de julho de 2019

No Cinema Ideal UMA SEMANA COM JORGE SILVA MELO E 3 ARTISTAS até 17 de Julho. FERNANDO LEMOS, SOFIA AREAL e JOSÉ DE GUIMARÃES agora editados em DVD. E terminamos esta temporada, parte da equipa já de férias, outra parte vai preparando EMÍLIA de Claudio Tolcachir com que abriremos a temporada de 2019/2020 a 11 de Setembro, no Teatro da Politécnica.


UMA SEMANA COM JORGE SILVA MELO E 3 ARTISTAS

Fernando Lemos, Sofia Areal e José de Guimarães são os três artistas de três filmes de Jorge Silva Melo, agora editados em DVD.

Estas três edições vêm juntar-se a outros oito filmes de Jorge Silva Melo sobre artistas que a Midas já anteriormente editou: com Álvaro Lapa, Ana Vieira, Ângelo de Sousa, António Sena, Bartolomeu Cid dos Santos, Joaquim Bravo, Nikias Skapinakis, a cooperativa Gravura. Há uma década afastado da ficção (a curta a Felicidade é de 2008, a longa António, um Rapaz de Lisboa é de 2002), Jorge Silva Melo tem continuado a trabalhar no cinema com estes documentários sobre artistas.  Que vamos também poder ver no Cinema Ideal.

No Cinema Ideal de 11 a 17 de Julho às 19:30
Entrada Livre

Programa:
5ª 11, 6ª 12, Sáb. 13 de Julho
 FERNANDO LEMOS – Como, não é Retrato? de Jorge Silva Melo
Dom. 14 e 2ª 15 de Julho - SOFIA AREAL: Um Gabinete Anti-Dor de Jorge Silva Melo
3ª 16 e 4ª 17 de Julho - A ÁFRICA de JOSÉ DE GUIMARÃES de Jorge Silva Melo e Miguel Aguiar

SESSÕES ESPECIAIS
Sábado 13, MARIA FILOMENA MOLDER apresenta a sessão (Fernando Lemos)
Segunda, 15, PEDRO CASTELLO LOPES apresenta a sessão (Sofia Areal)
com a presença de Jorge Silva Melo

(os DVDs têm preço único de €7,5 mas durante esta semana no cinema Ideal serão vendidos a €5,)




EMÍLIA de Claudio Tolcachir Com Américo SilvaAndreia BentoIsabel Muñoz CardosoJoão Estima e Pedro Carraca Cenografia Rita Lopes Alves e José Manuel Reis Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Assistência Inês Pereira Encenação Jorge Silva Melo A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 11 de Setembro a 19 de Outubro
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Estamos  mesmo alheados daquilo de que os outros precisam? Onde nasce este afastamento? Por alguma razão, todos se amam e essa razão nem sempre é o amor. Talvez o refúgio que Emília procura encontrar nesse antigo amor e na sua família seja a sua ruína. O seu  sacrifício. Ou a salvação?

Fotografia © Jorge Gonçalves

segunda-feira, 8 de julho de 2019

Últimos dias de VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali. No Teatro da Politécnica até sábado 13 de Julho. Também até 13 de Julho, na Sala das Janelas, pode ver A MULHER QUE VIVEU APENAS UMA VEZ de Margarida Correia. E de 11 a 17 de Julho, no Cinema Ideal, sempre às 19h30, teremos a exibição de três dos nossos filmes sobre artistas e lançamento dos DVDs. E preparamos a temporada 2019/20. A 11 de Setembro reabrimos o Teatro da Politécnica com EMÍLIA de Claudio Tolcachir.


VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali Tradução Tereza Bento Dramaturgia Maria João Rocha Afonso Com João Pedro Mamede, João Vicente e Vicente Wallenstein Realização Manuel Pureza Música Original Pedro Leitão Cenografia Palco13 Figurinos David Ferreira Assistência de Encenação André Leitão Luz e Encenação Gonçalo Carvalho Co-produção Artistas Unidos / Palco13 Apoio IIC – Istituto Italiano di Cultura – Lisbona, Fundação GDA  M16

No Teatro da Politécnica de 26 de Junho a 13 de Julho
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Quem sou eu? Eu sou o que as palavras dizem de mim. Eu sou a memória do que eu fui. Mas quem sou eu se não tenho palavras que me definam? Se não consigo falar de mim?

Eu sou as infinitas variações do que poderia ser. Perco-me em momentos que não sei se me pertencem ou se os vi algures num álbum de fotografias velho. E entre os fragmentos da minha história, imagens sem nome são embrulhadas, entrelaçadas, baralhadas e agora sou apenas eu. Não sei o que vivi e muito menos se o vivi, ou se me apoderei de histórias de outros. Variações Sobre o Modelo de Kraepelin é um texto sobre um homem que sofre de demência. Um homem que perde a memória, que esquece o fluxo dos anos, o nome das coisas e a sua funcionalidade. Ele perde as palavras e preenche os vazios como pode, através do fio ténue da sua imaginação.

Fotografia © Alfredo Matos



A MULHER QUE VIVEU APENAS UMA VEZ de Margarida Correia Com Anabela Ribeiro, Bárbara Bruno, Carolina Dominguez, Margarida Correia, Mário Coelho, Pedro Baptista, Rui Raposo, Teresa Machado Registo Fotográfico Francisco Carvalho e Vitorino Coragem Encenação Margarida Correia A Classificar pela CCE
No Teatro da Politécnica de 4 a 13 de Julho
5ª 4 e 6ª 5 às 21h; Sáb. 6 às 18h
5ª 11 e 6ª 12 às 19h; Sáb. 13 às 18h
10 de Maio de 1977, 78, 79, 77, Joan Crawford morre.
“Começo a perceber certas coisas”.
10 de Março, Março, Maio de 1977, Joan Crawford expira.
10 de Maio de 1977, “Que Deus abençoe a sua alma”.

Fotografia de Vitorino Coragem


UMA SEMANA COM JORGE SILVA MELO E 3 ARTISTAS
Fernando Lemos, Sofia Areal e José de Guimarães são os três artistas de três filmes de Jorge Silva Melo, agora editados em DVD.
Estas três edições vêm juntar-se a outros oito filmes de Jorge Silva Melo sobre artistas que a Midas já anteriormente editou: com Álvaro Lapa, Ana Vieira, Ângelo de Sousa, António Sena, Bartolomeu Cid dos Santos, Joaquim Bravo, Nikias Skapinakis, a cooperativa Gravura. Há uma década afastado da ficção (a curta a Felicidade é de 2008, a longa António, um Rapaz de Lisboa é de 2002), Jorge Silva Melo tem continuado a trabalhar no cinema com estes documentários sobre artistas.  Que vamos também poder ver no Cinema Ideal.

No Cinema Ideal de 11 a 17 de Julho às 19:30
Entrada Livre

Programa:
5ª 11, 6ª 12, Sáb. 13 de Julho
 FERNANDO LEMOS – Como, não é Retrato? de Jorge Silva Melo
Dom. 14 e 2ª 15 de Julho - SOFIA AREAL: Um Gabinete Anti-Dor de Jorge Silva Melo
3ª 16 e 4ª 17 de Julho - A ÁFRICA de JOSÉ DE GUIMARÃES de Jorge Silva Melo e Miguel Aguiar

SESSÕES ESPECIAIS
Sábado 13, MARIA FILOMENA MOLDER apresenta a sessão (Fernando Lemos)
Segunda, 15, PEDRO CASTELLO LOPES apresenta a sessão (Sofia Areal)
com a presença de Jorge Silva Melo

(os DVDs têm preço único de €7,5 mas durante esta semana no cinema Ideal serão vendidos a €5,)






segunda-feira, 1 de julho de 2019

Em cena: VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali. Também esta semana, recebemos a visita do dramaturgo italiano, que assiste ao espectáculo na 5a feira 4 de Julho e orientará a 5 de Julho a sessão UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI. Na sala ao lado, recebemos A MULHER QUE VIVEU APENAS UMA VEZ de Margarida Correia. De 4 a 13 de Julho.


VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali Tradução Tereza Bento Dramaturgia Maria João Rocha Afonso Com João Pedro Mamede, João Vicente e Vicente Wallenstein Realização Manuel Pureza Música Original Pedro Leitão Cenografia Palco13 Figurinos David Ferreira Assistência de Encenação André Leitão Luz e Encenação Gonçalo Carvalho Co-produção Artistas Unidos / Palco13 Apoio IIC – Istituto Italiano di Cultura – Lisbona, Fundação GDA  M16

No Teatro da Politécnica de 26 de Junho a 13 de Julho
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00
(5ª 4 e 6ª 5 de Julho às 19h00)

Sessão de 5ª 4 de Julho às 19h00 com presença do autor e seguida de conversa com os espectadores.

Quem sou eu? Eu sou o que as palavras dizem de mim. Eu sou a memória do que eu fui. Mas quem sou eu se não tenho palavras que me definam? Se não consigo falar de mim?

Eu sou as infinitas variações do que poderia ser. Perco-me em momentos que não sei se me pertencem ou se os vi algures num álbum de fotografias velho. E entre os fragmentos da minha história, imagens sem nome são embrulhadas, entrelaçadas, baralhadas e agora sou apenas eu. Não sei o que vivi e muito menos se o vivi, ou se me apoderei de histórias de outros. Variações Sobre o Modelo de Kraepelin é um texto sobre um homem que sofre de demência. Um homem que perde a memória, que esquece o fluxo dos anos, o nome das coisas e a sua funcionalidade. Ele perde as palavras e preenche os vazios como pode, através do fio ténue da sua imaginação.

Fotografia © Alfredo Matos


UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI
No Teatro da Politécnica a 5 de Julho às 15h30

Apoio Istituto Italiano di Cultura – Lisbona

A propósito da estreia de VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali, o dramaturgo italiano irá estar no Teatro da Politécnica a 5 de Julho para orientar uma sessão de trabalho sobre o tempo e a história enquanto problemas dramatúrgicos, filosóficos e políticos. A sessão será falada em castelhano e é destinada preferencialmente a profissionais e estudantes de Teatro. 

Tempo e história: um problema dramatúrgico, filosófico e político
Porque estamos habituados a conceber o tempo como um segmento de linha que começa num ponto e termina num outro? Onde começa uma história? Como se deveria desenrolar? E quando deve acabar? Neste seminário, refaremos a tradição dramatúrgica ocidental e descobriremos que os conceitos de "tempo" e "história" são instrumentos de representação da realidade condicionados por uma precisa concepção filosófica, religiosa, política, mas também económica.


Davide Carnevali

Fotografia © Pino Montisci



A MULHER QUE VIVEU APENAS UMA VEZ de Margarida Correia Com Anabela Ribeiro, Bárbara Bruno, Carolina Dominguez, Margarida Correia, Mário Coelho, Pedro Baptista, Rui Raposo, Teresa Machado Registo Fotográfico Francisco Carvalho e Vitorino Coragem Encenação Margarida Correia A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 4 a 13 de Julho
5ª 4 e 6ª 5 às 21h; Sáb. 6 às 18h
5ª 11 e 6ª 12 às 19h; Sáb. 13 às 18h

10 de Maio de 1977, 78, 79, 77, Joan Crawford morre.
“Começo a perceber certas coisas”.
10 de Março, Março, Maio de 1977, Joan Crawford expira.
10 de Maio de 1977, “Que Deus abençoe a sua alma”.

segunda-feira, 24 de junho de 2019

Estreamos! VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali, co-produção com a Palco13, estreia na 4ª 26 de Junho. E até 28 de Junho pode inscrever-se em UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI. Em breve vamos acolher A MULHER QUE VIVEU APENAS UMA VEZ de Margarida Correia. De 4 a 13 de Julho no Teatro da Politécnica. Já na 5ª 27 de Junho, estaremos em Setúbal, na Casa da Cultura, para ler Jorge de Sena, EM VOZ ALTA.


VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali Tradução Tereza Bento Dramaturgia Maria João Rocha Afonso Com João Pedro Mamede, João Vicente e Vicente Wallenstein Realização Manuel Pureza Musica Original Pedro Leitão Cenografia Palco13 Figurinos David Ferreira Assistência de Encenação André Leitão Luz e Encenação Gonçalo Carvalho Co-produção Artistas Unidos / Palco13 Apoio IIC - Istituto Italiano di Cultura - Lisbona M16

No Teatro da Politécnica de 26 de Junho a 13 de Julho
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00
(5ª 4 e 6ª 5 de Julho às 19h00)

Sessão de 5ª 4 de Julho às 19h00 com presença do autor e seguida de conversa com os espectadores.

Quem sou eu? Eu sou o que as palavras dizem de mim. Eu sou a memória do que eu fui. Mas quem sou eu se não tenho palavras que me definam? Se não consigo falar de mim?

Eu sou as infinitas variações do que poderia ser. Perco-me em momentos que não sei se me pertencem ou se os vi algures num álbum de fotografias velho. E entre os fragmentos da minha história, imagens sem nome são embrulhadas, entrelaçadas, baralhadas e agora sou apenas eu. Não sei o que vivi e muito menos se o vivi, ou se me apoderei de histórias de outros. Variações Sobre o Modelo de Kraepelin é um texto sobre um homem que sofre de demência. Um homem que perde a memória, que esquece o fluxo dos anos, o nome das coisas e a sua funcionalidade. Ele perde as palavras e preenche os vazios como pode, através do fio ténue da sua imaginação.

Fotografia © Alfredo Matos




UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI
No Teatro da Politécnica a 5 de Julho às 15h30

Apoio Istituto Italiano di Cultura – Lisbona

A propósito da estreia de VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali, o dramaturgo italiano irá estar no Teatro da Politécnica a 5 de Julho para orientar uma sessão de trabalho sobre o tempo e a história enquanto problemas dramatúrgicos, filosóficos e políticos. A sessão, que será falada em castelhano, tem o custo de 10€ e é destinada preferencialmente a profissionais e estudantes de Teatro, até ao limite de 20 participantes. As inscrições podem ser enviadas, juntamente com Curriculum Vitae, para Andreia Bento – abento@artistasunidos.pt. Inscrições até sexta-feira 28 de Junho.

Tempo e história: um problema dramatúrgico, filosófico e político
Porque estamos habituados a conceber o tempo como um segmento de linha que começa num ponto e termina num outro? Onde começa uma história? Como se deveria desenrolar? E quando deve acabar? Neste seminário, refaremos a tradição dramatúrgica ocidental e descobriremos que os conceitos de "tempo" e "história" são instrumentos de representação da realidade condicionados por uma precisa concepção filosófica, religiosa, política, mas também económica.

Davide Carnevali

Fotografia © Pino Montisci




A MULHER QUE VIVEU APENAS UMA VEZ de Margarida Correia Com Anabela Ribeiro, Bárbara Bruno, Carolina Dominguez, Margarida Correia, Mário Coelho, Pedro Baptista, Rui Raposo, Teresa Machado Registo Fotográfico Francisco Carvalho e Vitorino Coragem Encenação Margarida Correia A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 4 a 13 de Julho
5ª 4 e 6ª 5 às 21h; Sáb. 6 às 18h
5ª 11 e 6ª 12 às 19h; Sáb. 13 às 18h
10 de Maio de 1977, 78, 79, 77, Joan Crawford morre.

“Começo a perceber certas coisas”.
10 de Março, Março, Maio de 1977, Joan Crawford expira.
10 de Maio de 1977, “Que Deus abençoe a sua alma”.




EM VOZ ALTA
os nossos poetas
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Setúbal, na Casa da Cultura, às 21h30:
5ª feira, 27 de Junho - Jorge de Sena por Luís Lucas e Jorge Silva Melo.

Fotografias © Jorge Gonçalves

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Esta semana recebemos A MAIS LONGA VIAGEM DE UM MINUTO E VINTE METROS de André Russo. E há sessões em Língua Gestual Portuguesa, consulte os horários. Para a semana, mostramos VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali. Uma co-produção com a Palco13, no Teatro da Politécnica de 26 de Junho a 13 de Julho. E temos um novo prazo para que se inscreva para UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI. Até 6ª 28 de Junho. E a 27 Junho, Luís Lucas e Jorge Silva Melo lêem Jorge de Sena, EM VOZ ALTA, na Casa da Cultura de Setúbal.


A+LV=1MIN+20M - A MAIS LONGA VIAGEM DE UM MINUTO E VINTE METROS de André Russo Encenação e Intepretação André Russo Formação em LGP e Assistência de Encenação (versão em LGP) Sónia Serras Tradução (versão em LGP) Elsa Martins Música Cecilia Bartoli, Philippe Jaroussky, Frédéric Chopin e Amina Alaoui Apoio Fundação GDA, Association Em-Phase, ComPasso, A Bruxa Teatro e Malvada Associação Artística A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 20 a 22 de Junho
5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Sessões em Língua Gestual Portuguesa
5ª às 21h00 e Sáb. às 16h00

Jorge Almeida, um viajante solitário, acaba de chegar a uma nova cidade. Numa avenida movimentada, encontra um dos desafios mais difíceis que terá de enfrentar: a travessia de uma passadeira. A mais longa viagem de um minuto e vinte metros, escrita e interpretada por André Russo, será apresentada em duas versões: Português e Língua Gestual Portuguesa (LGP).

Fotografia © Émilie Massal




VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DO KRAEPELIN de Davide Carnevali Tradução Tereza Bento Com João Pedro Mamede, João Vicente e Vicente Wallenstein Realização Manuel Pureza Música Original Pedro Leitão Cenografia Palco13 Figurinos David Ferreira Assistência de Encenação André Leitão Luz e Encenação Gonçalo Carvalho Co-produção Artistas Unidos / Palco13 M/16

No Teatro da Politécnica de 26 de Junho a 13 de Julho
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00
(5ª 4 e 6ª 5 de Julho às 19h00)

A sessão de Julho conta com a presença do autor, Davide Carnevali. 
Haverá uma conversa com os espectadores no final do espectáculo.

Quem sou eu? Eu sou o que as palavras dizem de mim. Eu sou a memória do que eu fui. Mas quem sou eu se não tenho palavras que me definam? Se não consigo falar de mim?

Eu sou as infinitas variações do que poderia ser. Perco-me em momentos que não sei se me pertencem ou se os vi algures num álbum de fotografias velho. E entre os fragmentos da minha história, imagens sem nome são embrulhadas, entrelaçadas, baralhadas e agora sou apenas eu. Não sei o que vivi e muito menos se o vivi, ou se me apoderei de histórias de outros. Variações Sobre o Modelo de Kraepelin é um texto sobre um homem que sofre de demência. Um homem que perde a memória, que esquece o fluxo dos anos, o nome das coisas e a sua funcionalidade. Ele perde as palavras e preenche os vazios como pode, através do fio ténue da sua imaginação.

Fotografia © Alfredo Matos


UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI
No Teatro da Politécnica a 5 de Julho às 15h30

Apoio Istituto Italiano di Cultura – Lisbona

A propósito da estreia de VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali, o dramaturgo italiano irá estar no Teatro da Politécnica a 5 de Julho para orientar uma sessão de trabalho sobre o tempo e a história enquanto problemas dramatúrgicos, filosóficos e políticos. A sessão, que será falada em castelhano, tem o custo de 10€ e é destinada preferencialmente a profissionais e estudantes de Teatro, até ao limite de 20 participantes. As inscrições podem ser enviadas, juntamente com Curriculum Vitae, para Andreia Bento – abento@artistasunidos.pt. Inscrições até sexta-feira 28 de Junho.

Tempo e história: um problema dramatúrgico, filosófico e político
Porque estamos habituados a conceber o tempo como um segmento de linha que começa num ponto e termina num outro? Onde começa uma história? Como se deveria desenrolar? E quando deve acabar? Neste seminário, refaremos a tradição dramatúrgica ocidental e descobriremos que os conceitos de "tempo" e "história" são instrumentos de representação da realidade condicionados por uma precisa concepção filosófica, religiosa, política, mas também económica.

Davide Carnevali

Fotografia © Pino Montisci


EM VOZ ALTA
os nossos poetas
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Setúbal, na Casa da Cultura, às 21h30:
5ª feira, 27 de Junho - Jorge de Sena por Luís Lucas e Jorge Silva Melo.

Fotografia © Jorge Gonçalves

terça-feira, 11 de junho de 2019

Já esta semana recebemos no Teatro da Politécnica GARDENS SPEAK de Tania El Khoury. Integrado no (Quase) Teatro do Bairro Alto. Logo de seguida temos A MAIS LONGA VIAGEM DE UM MINUTO E VINTE METROS de André Russo. E logo depois estreamos VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN, uma co-produção com a Palco13. São também os últimos dias para se inscrever para UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI.


GARDENS SPEAK de Tania El Khoury Assistente de pesquisa e Escritora (árabe) Keenana Issa Tradução (inglês) Ziad Abu-Rish Tradução (português) Rui Pedro Martinho Cenografia Abir Saksouk Caligrafia e design das lápides Dia Batal Gravação (inglês) e edição sonora Khairy Eibesh (Stronghold Sound) Direcção de produção Jessica Harrington Assistente de produção Naya Salamé Coprodução Fierce Festival e Next Wave Festival Desenvolvimento Artists Bursary Scheme da Artsadmin Apoio Arts Council England A Classificar pela CCE
Fotografia © Jesse Hunniford

Quase (Teatro do Bairro Alto)

No Teatro da Politécnica a 14 e 15 junho
6ª e Sáb. às 16h30 (EN), 18h, 19h, 21h, 22h e 23h (PT)

Preço único 5€
Duração 40 minutos
Lotação por sessão: 10 pessoas
Em português e inglês

“Nem os mortos estarão seguros se o inimigo vencer.”
Walter Benjamin

Por toda a Síria, há jardins que ocultam os corpos de ativistas e manifestantes que adornaram as ruas durante os tempos iniciais da revolta. Nestas sepulturas improvisadas, joga-se uma colaboração contínua entre os vivos e os mortos. Os mortos protegem os vivos não os expondo a mais perigos por parte do regime. Os vivos protegem os mortos conservando as suas identidades, partilhando as suas histórias e impedindo que as suas mortes sejam instrumentalizadas pelo regime. Gardens Speak é uma instalação sonora interativa criada a partir das histórias de dez pessoas comuns que foram enterradas em jardins na Síria. O público é convidado a deitar-se sobre o solo para escutar os testemunhos orais que foram cuidadosamente construídos com a ajuda de amigos e familiares.

Tania El Khoury é uma artista libanesa que trabalha a interatividade com o público e o potencial ético e político desses encontros. Recebeu, entre outros, o International Live Art Prize de 2017. Esteve em Lisboa em 2012 com Maybe If You Choreograph Me, You Will Feel Better (Microfestival Forest Fringe, Culturgest).




A+LV=1MIN+20M - A MAIS LONGA VIAGEM DE UM MINUTO E VINTE METROS de André Russo Encenação e Intepretação André Russo Formação em LGP e Assistência de Encenação (versão em LGP) Sónia Serras Tradução (versão em LGP) Elsa Martins Música Cecilia Bartoli, Philippe Jaroussky, Frédéric Chopin e Amina Alaoui Apoio Fundação GDA, Association Em-Phase, ComPasso, A Bruxa Teatro e Malvada Associação Artística A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 20 a 22 de Junho
5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Sessões em Língua Gestual Portuguesa
5ª às 21h00 e Sáb. às 16h00

Jorge Almeida, um viajante solitário, acaba de chegar a uma nova cidade. Numa avenida movimentada, encontra um dos desafios mais difíceis que terá de enfrentar: a travessia de uma passadeira. A mais longa viagem de um minuto e vinte metros, escrita e interpretada por André Russo, será apresentada em duas versões: Português e Língua Gestual Portuguesa (LGP).



VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali Tradução Tereza Bento Com João Pedro Mamede, João Vicente e Vicente Wallenstein Realização Manuel Pureza Música Original Pedro Leitão Encenação Gonçalo Carvalho Co-produção Artistas Unidos / Palco13 A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 26 de Junho a 13 de Julho
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00
(5ª 4 e 6ª 5 de Julho às 19h00)

Quem sou eu? Eu sou o que as palavras dizem de mim. Eu sou a memória do que eu fui. Mas quem sou eu se não tenho palavras que me definam? Se não consigo falar de mim?

Eu sou as infinitas variações do que poderia ser. Perco-me em momentos que não sei se me pertencem ou se os vi algures num álbum de fotografias velho. E entre os fragmentos da minha história, imagens sem nome são embrulhadas, entrelaçadas, baralhadas e agora sou apenas eu. Não sei o que vivi e muito menos se o vivi, ou se me apoderei de histórias de outros. Variações Sobre o Modelo de Kraepelin é um texto sobre um homem que sofre de demência. Um homem que perde a memória, que esquece o fluxo dos anos, o nome das coisas e a sua funcionalidade. Ele perde as palavras e preenche os vazios como pode, através do fio ténue da sua imaginação.



UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI
No Teatro da Politécnica a 5 de Julho às 15h30

Apoio Istituto Italiano di Cultura – Lisbona

A propósito da estreia de VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali, o dramaturgo italiano irá estar no Teatro da Politécnica a 5 de Julho para orientar uma sessão de trabalho sobre o tempo e a história enquanto problemas dramatúrgicos, filosóficos e políticos. A sessão, que será falada em castelhano, tem o custo de 10€ e é destinada preferencialmente a profissionais e estudantes de Teatro, até ao limite de 20 participantes. As inscrições podem ser enviadas, juntamente com Curriculum Vitae, para Andreia Bento – abento@artistasunidos.pt. Inscrições até sexta-feira 14 de Junho.

Tempo e história: um problema dramatúrgico, filosófico e político
Porque estamos habituados a conceber o tempo como um segmento de linha que começa num ponto e termina num outro? Onde começa uma história? Como se deveria desenrolar? E quando deve acabar? Neste seminário, refaremos a tradição dramatúrgica ocidental e descobriremos que os conceitos de "tempo" e "história" são instrumentos de representação da realidade condicionados por uma precisa concepção filosófica, religiosa, política, mas também económica.

Davide Carnevali

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Amanhã, no Teatro da Politécnica, estreia DAVE, QUEDA-LIVRE de Tiago Lima. Só até 8 de Junho. Integrado no programa (Quase) Teatro do Bairro Alto, recebemos GARDENS SPEAK de Tania El Khoury. A 14 e 15 de Junho. E de 20 a 22 de Junho apresentamos A MAIS LONGA VIAGEM DE UM MINUTO E VINTE METROS de André Russo. E ainda se pode inscrever para passar UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI. Até 14 de Junho.


DAVE, QUEDA-LIVRE de Tiago Lima Com Beatriz Godinho, Bruno Ambrósio, Carolina P. Sousa, Cristina Carvalhal, David Esteves, Eduardo Frazão, Guilherme Moura, Jani Zhao, Pedro Lacerda e Rodolfo Major Dramaturgia Daniel Gamito Marques Produção Mafalda Miranda Jacinto Espaço sonoro, luz, concepção e encenação Tiago Lima A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 4 a 8 de Junho
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Inspirado na obra de David Foster Wallace, Dave, Queda-Livre tem como fio condutor o universo familiar e a questão do indivíduo na condição de sujeito no mundo. Dave está à beira do colapso. A vertigem entre algo grandioso e um fracasso, nessa lógica de competição em que ser o melhor é deixar de ser humano, e ser humano é aceitar perder e desaparecer no meio de toda a multidão.



GARDENS SPEAK de Tania El Khoury Assistente de pesquisa e Escritora (árabe) Keenana Issa Tradução (inglês) Ziad Abu-Rish Tradução (português) Rui Pedro Martinho Cenografia Abir Saksouk Caligrafia e design das lápides Dia Batal Gravação (inglês) e edição sonora Khairy Eibesh (Stronghold Sound) Direcção de produção Jessica Harrington Assistente de produção Naya Salamé Coprodução Fierce Festival e Next Wave Festival Desenvolvimento Artists Bursary Scheme da Artsadmin Apoio Arts Council England A Classificar pela CCE

Quase (Teatro do Bairro Alto)

No Teatro da Politécnica a 14 e 15 junho
6ª e Sáb. às 16h30 (EN), 18h, 19h, 21h, 22h e 23h (PT)

Preço único 5€
Duração 40 minutos
Lotação por sessão: 10 pessoas
Em português e inglês

“Nem os mortos estarão seguros se o inimigo vencer.”
Walter Benjamin

Por toda a Síria, há jardins que ocultam os corpos de ativistas e manifestantes que adornaram as ruas durante os tempos iniciais da revolta. Nestas sepulturas improvisadas, joga-se uma colaboração contínua entre os vivos e os mortos. Os mortos protegem os vivos não os expondo a mais perigos por parte do regime. Os vivos protegem os mortos conservando as suas identidades, partilhando as suas histórias e impedindo que as suas mortes sejam instrumentalizadas pelo regime. Gardens Speak é uma instalação sonora interativa criada a partir das histórias de dez pessoas comuns que foram enterradas em jardins na Síria. O público é convidado a deitar-se sobre o solo para escutar os testemunhos orais que foram cuidadosamente construídos com a ajuda de amigos e familiares.

Tania El Khoury é uma artista libanesa que trabalha a interatividade com o público e o potencial ético e político desses encontros. Recebeu, entre outros, o International Live Art Prize de 2017. Esteve em Lisboa em 2012 com Maybe If You Choreograph Me, You Will Feel Better (Microfestival Forest Fringe, Culturgest).



A+LV=1MIN+20M A MAIS LONGA VIAGEM DE UM MINUTO E VINTE METROS de André Russo Encenação e Intepretação André Russo Formação em LGP e Assistência de Encenação (versão em LGP) Sónia Serras Tradução (versão em LGP) Elsa Martins Música Cecilia Bartoli, Philippe Jaroussky, Frédéric Chopin e Amina Alaoui Apoio Fundação GDA, Association Em-Phase, ComPasso, A Bruxa Teatro e Malvada Associação Artística A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 20 a 22 de Junho
5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Sessões em Língua Gestual Portuguesa
5ª às 21h00 e Sáb. às 16h00

Jorge Almeida, um viajante solitário, acaba de chegar a uma nova cidade. Numa avenida movimentada, encontra um dos desafios mais difíceis que terá de enfrentar: a travessia de uma passadeira. A mais longa viagem de um minuto e vinte metros, escrita e interpretada por André Russo, será apresentada em duas versões: Português e Língua Gestual Portuguesa (LGP).



UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI
No Teatro da Politécnica a 5 de Julho às 15h30

Apoio Istituto Italiano di Cultura – Lisbona

A propósito da estreia de VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali, o dramaturgo italiano irá estar no Teatro da Politécnica a 5 de Julho para orientar uma sessão de trabalho sobre o tempo e a história enquanto problemas dramatúrgicos, filosóficos e políticos. A sessão, que será falada em castelhano, tem o custo de 10€ e é destinada preferencialmente a profissionais e estudantes de Teatro, até ao limite de 20 participantes. As inscrições podem ser enviadas, juntamente com Curriculum Vitae, para Andreia Bento – abento@artistasunidos.pt. Inscrições até sexta-feira 14 de Junho.

Tempo e história: um problema dramatúrgico, filosófico e político
Porque estamos habituados a conceber o tempo como um segmento de linha que começa num ponto e termina num outro? Onde começa uma história? Como se deveria desenrolar? E quando deve acabar? Neste seminário, refaremos a tradição dramatúrgica ocidental e descobriremos que os conceitos de "tempo" e "história" são instrumentos de representação da realidade condicionados por uma precisa concepção filosófica, religiosa, política, mas também económica.

Davide Carnevali

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Em breve, no Teatro da Politécnica, acolhemos DAVE, QUEDA-LIVRE de Tiago Lima. E a 30 de Maio, na Casa da Avenida, Lia Gama, João Meireles e Nuno Gonçalo Rodrigues lêem José Afonso EM VOZ ALTA. Já a 3 de Junho, na Casa Sommer em Cascais lemos Poesia Infanto-Juvenil. E a 26 de Junho estrearemos VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali. Com a Palco13. E Davide Carnevali volta a visitar-nos. A 5 de Julho, o autor italiano estará no Teatro da Politécnica com UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI. As inscrições estão abertas até 14 de Junho.


DAVE, QUEDA-LIVRE de Tiago Lima Com Beatriz Godinho, Bruno Ambrósio, Carolina P. Sousa, Cristina Carvalhal, David Esteves, Eduardo Frazão, Guilherme Moura, Jani Zhao, Pedro Lacerda e Rodolfo Major Dramaturgia Daniel Gamito Marques ProduçãoMafalda Miranda Jacinto Espaço sonoro, luz, concepção e encenação Tiago Lima A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 4 a 8 de Junho
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Inspirado na obra de David Foster Wallace, Dave, Queda-Livre tem como fio condutor o universo familiar e a questão do indivíduo na condição de sujeito no mundo. Dave está à beira do colapso. A vertigem entre algo grandioso e um fracasso, nessa lógica de competição em que ser o melhor é deixar de ser humano, e ser humano é aceitar perder e desaparecer no meio de toda a multidão.



EM VOZ ALTAos nossos poetas 
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Setúbal, na Casa da Avenida, às 21h30:
3ª feira, 30 de Maio - José Afonso por Lia GamaNuno Gonçalo Rodrigues e João Meireles.

Em Cascais, na Escola Básica Malangatana de Alcoitão, às 10h00: 
3ª feira, 3 de Junho - Poesia Infanto-Juvenil por João Meireles



VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali Tradução Tereza Bento Com João Pedro Mamede, João Vicente e Romeu Vala Realização Manuel Pureza Música Original Gil Amado Encenação Gonçalo Carvalho Co-produção Artistas Unidos / Palco13 A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 26 de Junho a 13 de Julho
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00
(5ª 4 e 6ª 5 de Julho às 19h00)

Quem sou eu? Eu sou o que as palavras dizem de mim. Eu sou a memória do que eu fui. Mas quem sou eu se não tenho palavras que me definam? Se não consigo falar de mim?

Eu sou as infinitas variações do que poderia ser. Perco-me em momentos que não sei se me pertencem ou se os vi algures num álbum de fotografias velho. E entre os fragmentos da minha história, imagens sem nome são embrulhadas, entrelaçadas, baralhadas e agora sou apenas eu. Não sei o que vivi e muito menos se o vivi, ou se me apoderei de histórias de outros. Variações Sobre o Modelo de Kraepelin é um texto sobre um homem que sofre de demência. Um homem que perde a memória, que esquece o fluxo dos anos, o nome das coisas e a sua funcionalidade. Ele perde as palavras e preenche os vazios como pode, através do fio ténue da sua imaginação.



UMA TARDE COM DAVIDE CARNEVALI

No Teatro da Politécnica a 5 de Julho às 15h30

Apoio Istituto Italiano di Cultura – Lisbona

A propósito da estreia de VARIAÇÕES SOBRE O MODELO DE KRAEPELIN de Davide Carnevali, o dramaturgo italiano irá estar no Teatro da Politécnica a 5 de Julho para orientar uma sessão de trabalho sobre o tempo e a história enquanto problemas dramatúrgicos, filosóficos e políticos. A sessão, que será falada em castelhano, tem o custo de 10€ e é destinada preferencialmente a profissionais e estudantes de Teatro, até ao limite de 20 participantes. As inscrições podem ser enviadas, juntamente com Curriculum Vitae, para Andreia Bento – abento@artistasunidos.pt. Inscrições até sexta-feira 14 de Junho.

Tempo e história: um problema dramatúrgico, filosófico e político

Porque estamos habituados a conceber o tempo como um segmento de linha que começa num ponto e termina num outro? Onde começa uma história? Como se deveria desenrolar? E quando deve acabar? Neste seminário, refaremos a tradição dramatúrgica ocidental e descobriremos que os conceitos de "tempo" e "história" são instrumentos de representação da realidade condicionados por uma precisa concepção filosófica, religiosa, política, mas também económica.

Davide Carnevali