segunda-feira, 20 de maio de 2019

Esta semana, no Teatro da Politécnica, a 33 Ânimos apresenta CORPO FUTURO de Ricardo Cabaça. Hoje, na Biblioteca da INCM, Jorge Silva Melo e Luís Lucas lêem Pedro Tamen. E continuam as sessões de EM VOZ ALTA. A 25 de Maio na Casa Sommer, em Cascais e a 30 de Maio na Casa da Cultura de Setúbal. O livro A MESA ESTÁ POSTA de Jorge Silva Melo é lançado a 23 de Maio em Leiria na Livraria Arquivo e a 24 de Maio na Casa da Avenida, em Setúbal.



CORPO FUTURO de Ricardo Cabaça Com Érica Rodrigues e Mário Oliveira Música Mário Oliveira Luz Carolina Caramelo Vídeo e fotografia João Pedro Barriga Encenação Ricardo Cabaça Produção 33 Ânimos

No Teatro da Politécnica de 23 a 25 de Maio
5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Corpo Futuro é uma interpretação da História de Arte para perceber a forma como a mulher foi representada na arte, desde a sua origem até hoje. Na maioria das aparições a sua importância não ultrapassou a figura de musa, sendo retratada sempre pelos homens: perfeita, bela e submissa. Este espectáculo reflecte sobre alguns dos ícones femininos da literatura universal, como Penélope, na procura de respostas alternativas às suas acções.



A VOZ DOS POETAS
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Na Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica) vamos ler poesias de alguns poetas editados pela INCM. Porque gostamos de dar a voz aos poetas, voz alta. 


Na Biblioteca da Imprensa Nacional, às 18h30:
2ª feira, 20 de Maio – Pedro Tamen por Jorge Silva Melo e Luís Lucas.




EM VOZ ALTA
os nossos poetas
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Cascais, na Casa Sommer, às 18h30:
Sábado, 25 de Maio - Mário Cesariny por Maria João Luís e Jorge Silva Melo.


Em Setúbal, na Casa da Cultura, às 21h30:
3ª feira, 30 de Maio - José Afonso por Lia GamaNuno Gonçalo Rodrigues e João Meireles.


Cotovia
Com a presença de Jorge Silva Melo

Em Leiria, na Livraria Arquivo a 23 de Maio, às 18h30

Em Setúbal, na Casa da Avenida a 24 de Maio, às 22h00

São textos dispersos, textos que escrevi, entrevistas, coisas que disse, cinquenta anos de viver e de andar a pensar e a fazer. É uma escolha, são textos díspares em que água mole foi batendo em pedra sempre dura, mas não está cá tudo, nem pensar, há textos perdidos, outros que ficaram de lado, outros que andam por outras recolhas*. São cinquenta anos insistentes, felizes, teimosos, sempre a defender, ó monotonia!, essa coisa mais linda que é viver entre palavras, palavras de outros, antigos, modernos, tantos. São textos recuperados, corrigidos, revistos, alguns inéditos, tanta coisa sobre Teatro, pois é, foi uma vida.

JSM, Dezembro de 2018

* Deixar a Vida, Cotovia, 2002 e Século Passado, Cotovia, 2008

segunda-feira, 13 de maio de 2019

No Teatro da Politécnica, PURIFICADOS de Sarah Kane. Até 18 de Maio. E para a semana apresentamos CORPO FUTURO de Ricardo Cabaça. De 23 a 25 de Maio. E temos o lançamento de A MESA ESTÁ POSTA de Jorge Silva Melo a 23 de Maio, em Leiria, na Livraria Arquivo e a 24 de Maio na Casa da Cultura de Setúbal. Continuam também as leituras EM VOZ ALTA. A 25 de Maio Maria João Luís e Jorge Silva Melo estarão na Casa Sommer, em Cascais, para ler Mário Cesariny. E a 30 de Maio, na Casa da Cultura de Setúbal, António Simão, Lia Gama e João Meireles lêem José Afonso. E a 20 de Maio temos A VOZ DOS POETAS na INCM.


PURIFICADOS de Sarah Kane Tradução Maria João da Rocha Afonso Com Alexandre Carvalho, Érica Rodrigues, Joana Jorge, João Cachola, João Jesus, Luís Barros e Romeu Vala Música Original Gil Amado Encenação Gonçalo Carvalho Produção Palco 13 M16

No Teatro da Politécnica de 8 a 18 de Maio

3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Purificados apresenta-nos um mundo em que os seres humanos são sujeitos a uma série de experiências cruéis com o fim de testar os limites do amor. Sob o olhar sádico e controlador de Tinker, os homens transformam-se em cobaias, mas, nesta câmara de horrores, o amor sobrevive, ainda que precariamente.
Testando os limites, a peça concentra-se numa questão central: até onde vão as promessas que os amantes fazem, convictos, uns aos outros?

David Greig, in O que estas peças dizem sobre nós?



CORPO FUTURO de Ricardo Cabaça Com Érica Rodrigues e Mário Oliveira Música Mário Oliveira Luz Carolina Caramelo Vídeo e fotografia João Pedro Barriga Encenação Ricardo Cabaça Produção 33 Ânimos M14

No Teatro da Politécnica de 23 a 25 de Maio

5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Corpo futuro é uma interpretação da História de Arte para perceber a forma como a mulher foi representada na arte, desde a sua origem até hoje. Na maioria das aparições a sua importância não ultrapassou a figura de musa, sendo retratada sempre pelos homens: perfeita, bela e submissa.
Este espectáculo reflecte sobre alguns dos ícones femininos da literatura universal, como Penélope, na procura de respostas alternativas às suas acções.



Lançamento de A MESA ESTÁ POSTA de Jorge Silva Melo
Cotovia
Com a presença de Jorge Silva Melo

Em Leiria, na Livraria Arquivo a 23 de Maio, às 18h30
Em Setúbal, na Casa da Cultura a 24 de Maio, às 22h00

São textos dispersos, textos que escrevi, entrevistas, coisas que disse, cinquenta anos de viver e de andar a pensar e a fazer. É uma escolha, são textos díspares em que água mole foi batendo em pedra sempre dura, mas não está cá tudo, nem pensar, há textos perdidos, outros que ficaram de lado, outros que andam por outras recolhas*. São cinquenta anos insistentes, felizes, teimosos, sempre a defender, ó monotonia!, essa coisa mais linda que é viver entre palavras, palavras de outros, antigos, modernos, tantos. São textos recuperados, corrigidos, revistos, alguns inéditos, tanta coisa sobre Teatro, pois é, foi uma vida.

JSM, Dezembro de 2018

* Deixar a Vida, Cotovia, 2002 e Século Passado, Cotovia, 2008



EM VOZ ALTA
os nossos poetas 
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Cascais, na Casa Sommer, às 18h30:
Sábado, 25 de Maio - Mário Cesariny por Maria João Luís e Jorge Silva Melo.

Em Setúbal, na Casa da Cultura, às 21h30:
3ª feira, 30 de Maio - José Afonso por Lia GamaAntónio Simão e João Meireles.



A VOZ DOS POETAS
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Na Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica) vamos ler poesias de alguns poetas editados pela INCM. Porque gostamos de dar a voz aos poetas, voz alta. 


Na Biblioteca da Imprensa Nacional, às 18h30:
2ª feira, 20 de Maio – Pedro Tamen por Jorge Silva Melo e Luís Lucas.

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Esta semana recebemos PURIFICADOS de Sarah Kane, pelo Palco 13. Só até 18 de Maio. E logo de seguida recebemos CORPO FUTURO de Ricardo Cabaça, pela 33 Ânimos. Voltaremos à Biblioteca da INCM para A VOZ DOS POETAS. Luís Lucas e Jorge Silva Melo lêem Pedro Tamen a 20 de Maio. E continuam as sessões EM VOZ ALTA. A 25 de Maio em Cascais, na Casa Sommer e a 30 de Maio na Casa da Cultura de Setúbal.


PURIFICADOS de Sarah Kane Tradução Maria João da Rocha Afonso Com Alexandre Carvalho, Érica Rodrigues, Joana Jorge, João Cachola, João Jesus, Luís Lobão e Romeu Vala Música Original Gil Amado Encenação Gonçalo Carvalho Produção Palco 13 M16

No Teatro da Politécnica de 8 a 18 de Maio
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Purificados apresenta-nos um mundo em que os seres humanos são sujeitos a uma série de experiências cruéis com o fim de testar os limites do amor. Sob o olhar sádico e controlador de Tinker, os homens transformam-se em cobaias, mas, nesta câmara de horrores, o amor sobrevive, ainda que precariamente.

Testando os limites, a peça concentra-se numa questão central: até onde vão as promessas que os amantes fazem, convictos, uns aos outros?
David Greig, in O que estas peças dizem sobre nós?




CORPO FUTURO de Ricardo Cabaça Com Érica Rodrigues e Mário Oliveira Música Mário Oliveira Luz Carolina Caramelo Vídeo e fotografia João Pedro Barriga Encenação Ricardo Cabaça Produção 33 Ânimos

No Teatro da Politécnica de 23 a 25 de Maio
5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Corpo futuro é uma interpretação da História de Arte para perceber a forma como a mulher foi representada na arte, desde a sua origem até hoje. Na maioria das aparições a sua importância não ultrapassou a figura de musa, sendo retratada sempre pelos homens: perfeita, bela e submissa.
Este espetáculo reflete sobre alguns dos ícones femininos da literatura universal, como Penélope, na procura de respostas alternativas às suas ações.



A VOZ DOS POETAS
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Na Biblioteca da Imprensa Nacional (Rua da Escola Politécnica) vamos ler poesias de alguns poetas editados pela INCM. Porque gostamos de dar a voz aos poetas, voz alta.

Na Biblioteca da Imprensa Nacional, às 18h30:
2ª feira, 20 de Maio – Pedro Tamen por Jorge Silva Melo e Luís Lucas.




EM VOZ ALTA
os nossos poetas
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Cascais, na Casa Sommer, às 18h30:
Sábado, 25 de Maio - Mário Cesariny por Maria João Luís e Jorge Silva Melo.

Em Setúbal, na Casa da Cultura, às 21h30:
3ª feira, 30 de Maio - José Afonso por Lia GamaAntónio Simão e João Meireles.

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Últimos dias de BALLYTURK de Enda Walsh e da exposição NESTES ÚLTIMOS TEMPOS de Jorge Gonçalves. Até 4 de Maio no Teatro da Politécnica. E a 8 de Maio acolhemos PURIFICADOS de Sarah Kane, pelo Palco 13. Em Setúbal, na Casa da Cultura, lemos Sophia de Mello Breyner EM VOZ ALTA.


BALLYTURK de Enda Walsh Tradução Nuno Ventura Barbosa Com Américo SilvaAntónio Simão e Pedro Carraca e as meninas Matilde Penedo, Melissa Matos e Beatriz Mendes Vozes de Jorge Silva Melo, Inês Pereira, Isabel Muñoz Cardoso, Pedro Baptista Cenografia Rita Lopes Alves e José Manuel Reis Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Som André Pires Efeitos Especiais Rui Alves Coreografia Gonçalo Egito Assistência Inês Pereira Produção João Meireles Encenação Jorge Silva Melo M14

No Teatro da Politécnica de 27 Março a 4 Maio
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Na 4ª feira 1 de Maio, Dia do Trabalhador, não haverá sessão.
VOZ 1 Sempre senti que o meu corpo me seguia.
3 Quer dizer, como um estranho?
VOZ 1 Mais como um amigo de quem fora próximo, mas já não sou.
Ballyturk, Enda Walsh

Dois homens num armazém. Mas onde? Quem são? Que quarto é este e o que poderá estar para além das paredes? Presos numa sala, passam o tempo imaginando que ainda estão numa aldeia irlandesa.

“Enda Walsh é único, só ele sabe aliar o grotesco mais sórdido ao sublime, a tragédia à paródia, só ele pode gostar dos Karamazov e dos Três Estarolas, aliar a cerveja operária ao sonho da vida, só ele sabe encarcerar as personagens nos seus sonhos de poder, pesadelos horrivelmente cómicos, é um extraordinário escritor. É tão bom viver ao mesmo tempo que este rapaz (nasceu em 1967, que raio!) - e ele mostra-me tão bem estes tempos escuros que nos foi dado viver.”

Jorge Silva Melo



NESTES ÚLTIMOS TEMPOS de Jorge Gonçalves

No Teatro da Politécnica de 27 de Março a 4 de Maio
3ª a 6ª das 17h00 | Sáb. das 15h00 até ao final do espectáculo


São retratos, são cenas de peças, são planos gerais, são cenas de conjunto, são momentos. Jorge Gonçalves fotografa os nossos espectáculos desde 1998. E estes são os trabalhos que temos vindo a fazer no Teatro da Politécnica que abrimos a 19 de Outubro de 2011. Sim tantos actores, tantas peças, tantos autores. Tem sido assim a nossa vida. E connosco ficam estes momentos sensíveis. Tanta gente, nestes últimos tempos. Com o coração.

Apoio Direcção Geral das Artes


PURIFICADOS de Sarah Kane Tradução Maria João da Rocha Afonso Com Alexandre Carvalho, Érica Rodrigues, Joana Jorge, João Cachola, João Jesus, Luís Barros e Romeu Vala Música Original Gil Amado Encenação Gonçalo Carvalho Produção Palco 13 M16

No Teatro da Politécnica de 8 a 18 de Maio
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Purificados apresenta-nos um mundo em que os seres humanos são sujeitos a uma série de experiências cruéis com o fim de testar os limites do amor. Sob o olhar sádico e controlador de Tinker, os homens transformam-se em cobaias, mas, nesta câmara de horrores, o amor sobrevive, ainda que precariamente.
Testando os limites, a peça concentra-se numa questão central: até onde vão as promessas que os amantes fazem, convictos, uns aos outros?

David Greig, in O que estas peças dizem sobre nós?



EM VOZ ALTA 
os nossos poetas
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.
Em Setúbal, na Casa da Cultura, às 21h30
5ª feira, 2 de Maio - Sophia de Mello Breyner Andresen por Catarina Wallenstein e Manuel Wiborg

segunda-feira, 22 de abril de 2019

Duas últimas semanas de BALLYTURK de Enda Walsh. No Teatro da Politécnica até 4 de Maio. Também até 4 de Maio a exposição de Jorge Gonçalves, NESTES ÚLTIMOS TEMPOS. E dentro em breve acolhemos PURIFICADOS de Sarah Kane, pelo Palco 13. A 8 de Maio. E a 2 de Maio temos leitura EM VOZ ALTA na Casa da Cultura de Setúbal. Catarina Wallenstein e Manuel Wiborg lêem Sophia de Mello Breyner.


BALLYTURK de Enda Walsh Tradução Nuno Ventura Barbosa Com Américo SilvaAntónio Simão e Pedro Carraca e as meninas Matilde Penedo, Melissa Matos e Beatriz Mendes Vozes de Jorge Silva MeloInês PereiraIsabel Muñoz CardosoPedro Baptista Cenografia Rita Lopes Alves e José Manuel Reis Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Som André Pires Efeitos Especiais Rui Alves Coreografia Gonçalo Egito Assistência Inês Pereira Produção João Meireles Encenação Jorge Silva Melo M14

No Teatro da Politécnica de 27 Março a 4 Maio
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00


Na 4ª feira 1 de Maio, Dia do Trabalhador, não haverá sessão.
VOZ 1 Sempre senti que o meu corpo me seguia.
3 Quer dizer, como um estranho?
VOZ 1 Mais como um amigo de quem fora próximo, mas já não sou.

Ballyturk, Enda Walsh

Dois homens num armazém. Mas onde? Quem são? Que quarto é este e o que poderá estar para além das paredes? Presos numa sala, passam o tempo imaginando que ainda estão numa aldeia irlandesa.
“Enda Walsh é único, só ele sabe aliar o grotesco mais sórdido ao sublime, a tragédia à paródia, só ele pode gostar dos Karamazov e dos Três Estarolas, aliar a cerveja operária ao sonho da vida, só ele sabe encarcerar as personagens nos seus sonhos de poder, pesadelos horrivelmente cómicos, é um extraordinário escritor. É tão bom viver ao mesmo tempo que este rapaz (nasceu em 1967, que raio!) - e ele mostra-me tão bem estes tempos escuros que nos foi dado viver.”

Jorge Silva Melo


NESTES ÚLTIMOS TEMPOS de Jorge Gonçalves
No Teatro da Politécnica de 27 de Março a 4 de Maio
3ª a 6ª das 17h00 | Sáb. das 15h00 até ao final do espectáculo

São retratos, são cenas de peças, são planos gerais, são cenas de conjunto, são momentos. Jorge Gonçalves fotografa os nossos espectáculos desde 1998. E estes são os trabalhos que temos vindo a fazer no Teatro da Politécnica que abrimos a 19 de Outubro de 2011. Sim tantos actores, tantas peças, tantos autores. Tem sido assim a nossa vida. E connosco ficam estes momentos sensíveis. Tanta gente, nestes últimos tempos. Com o coração.

Apoio | Direcção Geral das Artes


PURIFICADOS de Sarah Kane Tradução Maria João da Rocha Afonso Com Alexandre Carvalho, Érica Rodrigues, Joana Jorge, João Cachola, João Jesus, Luís Barros e Romeu Vala Música Original Gil Amado Encenação Gonçalo Carvalho Produção Palco 13 M16

No Teatro da Politécnica de 8 a 18 de Maio
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Purificados apresenta-nos um mundo em que os seres humanos são sujeitos a uma série de experiências cruéis com o fim de testar os limites do amor. Sob o olhar sádico e controlador de Tinker, os homens transformam-se em cobaias, mas, nesta câmara de horrores, o amor sobrevive, ainda que precariamente.
Testando os limites, a peça concentra-se numa questão central: até onde vão as promessas que os amantes fazem, convictos, uns aos outros?
David Greig, in O que estas peças dizem sobre nós?




EM VOZ ALTA 
os nossos poetas 
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Setúbal, na Casa da Cultura, às 21h30

5ª feira, 2 de Maio - Sophia de Mello Breyner Andresen por Catarina Wallenstein e Manuel Wiborg

segunda-feira, 15 de abril de 2019

E continuamos a mostrar BALLYTURK de Enda Walsh e a exposição de Jorge Gonçalves, NESTES ÚLTIMOS TEMPOS. Só até 4 de Maio no Teatro da Politécnica.


BALLYTURK de Enda Walsh Tradução Nuno Ventura Barbosa Com Américo SilvaAntónio Simão e Pedro Carraca e as meninas Matilde Penedo, Melissa Matos e Beatriz Mendes Vozes de Jorge Silva MeloInês PereiraIsabel Muñoz CardosoPedro Baptista Cenografia Rita Lopes Alves e José Manuel Reis Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Som André Pires Efeitos Especiais Rui Alves Coreografia Gonçalo Egito Assistência Inês Pereira Produção João Meireles Encenação Jorge Silva Melo M14~

No Teatro da Politécnica de 27 Março a 4 Maio
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

VOZ 1 Sempre senti que o meu corpo me seguia.
3 Quer dizer, como um estranho?
VOZ 1 Mais como um amigo de quem fora próximo, mas já não sou.

Ballyturk, Enda Walsh

Dois homens num armazém. Mas onde? Quem são? Que quarto é este e o que poderá estar para além das paredes? Presos numa sala, passam o tempo imaginando que ainda estão numa aldeia irlandesa.

“Enda Walsh é único, só ele sabe aliar o grotesco mais sórdido ao sublime, a tragédia à paródia, só ele pode gostar dos Karamazov e dos Três Estarolas, aliar a cerveja operária ao sonho da vida, só ele sabe encarcerar as personagens nos seus sonhos de poder, pesadelos horrivelmente cómicos, é um extraordinário escritor. É tão bom viver ao mesmo tempo que este rapaz (nasceu em 1967, que raio!) - e ele mostra-me tão bem estes tempos escuros que nos foi dado viver.”

Jorge Silva Melo


NESTES ÚLTIMOS TEMPOS de Jorge Gonçalves
No Teatro da Politécnica de 27 de Março a 4 de Maio
3ª a 6ª das 17h00 | Sáb. das 15h00 até ao final do espectáculo

São retratos, são cenas de peças, são planos gerais, são cenas de conjunto, são momentos. Jorge Gonçalves fotografa os nossos espectáculos desde 1998. E estes são os trabalhos que temos vindo a fazer no Teatro da Politécnica que abrimos a 19 de Outubro de 2011. Sim tantos actores, tantas peças, tantos autores. Tem sido assim a nossa vida. E connosco ficam estes momentos sensíveis. Tanta gente, nestes últimos tempos. Com o coração.

Apoio | Direcção Geral das Artes

segunda-feira, 8 de abril de 2019

BALLYTURK de Enda Walsh continua em cena. Até 4 de Maio no Teatro da Politécnica. Pode também ver a exposição NESTES ÚLTIMOS TEMPOS de Jorge Gonçalves. Já neste sábado, em Cascais, na Casa Sommer temos EM VOZ ALTA. Catarina Wallenstein e Manuel Wiborg lêem Sophia de Mello Breyner. E estão quase a fechar as inscrições para o seminário ÀS CLARAS.


BALLYTURK de Enda Walsh Tradução Nuno Ventura Barbosa Com Américo SilvaAntónio Simão e Pedro Carraca e as meninas Matilde Penedo, Melissa Matos e Beatriz Mendes Vozes de Jorge Silva MeloInês PereiraIsabel Muñoz CardosoPedro BaptistaCenografia Rita Lopes Alves e José Manuel Reis Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Som André Pires Efeitos EspeciaisRui Alves Coreografia Gonçalo Egito Assistência Inês Pereira Produção João Meireles Encenação Jorge Silva Melo M14

No Teatro da Politécnica de 27 Março a 4 Maio

3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

VOZ 1 Sempre senti que o meu corpo me seguia.
3 Quer dizer, como um estranho?
VOZ 1 Mais como um amigo de quem fora próximo, mas já não sou.

Ballyturk, Enda Walsh

Dois homens num armazém. Mas onde? Quem são? Que quarto é este e o que poderá estar para além das paredes? Presos numa sala, passam o tempo imaginando que ainda estão numa aldeia irlandesa.
“Enda Walsh é único, só ele sabe aliar o grotesco mais sórdido ao sublime, a tragédia à paródia, só ele pode gostar dos Karamazov e dos Três Estarolas, aliar a cerveja operária ao sonho da vida, só ele sabe encarcerar as personagens nos seus sonhos de poder, pesadelos horrivelmente cómicos, é um extraordinário escritor. É tão bom viver ao mesmo tempo que este rapaz (nasceu em 1967, que raio!) - e ele mostra-me tão bem estes tempos escuros que nos foi dado viver.”

Jorge Silva Melo


NESTES ÚLTIMOS TEMPOS de Jorge Gonçalves
No Teatro da Politécnica de 27 de Março a 4 de Maio
3ª a 6ª das 17h00 | Sáb. das 15h00 até ao final do espectáculo

São retratos, são cenas de peças, são planos gerais, são cenas de conjunto, são momentos. Jorge Gonçalves fotografa os nossos espectáculos desde 1998. E estes são os trabalhos que temos vindo a fazer no Teatro da Politécnica que abrimos a 19 de Outubro de 2011. Sim tantos actores, tantas peças, tantos autores. Tem sido assim a nossa vida. E connosco ficam estes momentos sensíveis. Tanta gente, nestes últimos tempos. Com o coração.

Apoio Direcção Geral das Artes



EM VOZ ALTA 
os nossos poetas 
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos
Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Cascais, na Casa Sommer, às 18h30

Sábado, 13 de Abril - Sophia de Mello Breyner Andresen por Catarina Wallenstein e Manuel Wiborg


UMA COMPANHIA DE TEATRO ÀS CLARAS.
UM SEMINÁRIO NOS ARTISTAS UNIDOS.

2019 MAIO/JULHO

A vida dos teatros, a nossa vida, dia após dia, ensaio após ensaio, espectáculos que terminam carreira, espectáculos que começam, que partem em digressão, ensaios que se repetem, montagens de cenários, contas, pagamentos, preparações, discussões de repertório e elencos, relações com a imprensa, os espectadores e o ministério - o dia a dia de uma companhia de teatro ÀS CLARAS.

Um seminário em 2019.
Dois módulos.

1º módulo: de 12 de Janeiro a 2 de Março (8 sessões)

2º módulo - de 18 de Maio a 6 de Julho (8 sessões)
Análise de espectáculo que estará em cena no Teatro da Politécnica; acompanhamento dos espectáculos a estrear em 2019-2020.

Sessões sábados das 11h às 13h no Teatro da Politécnica.

Quem pode participar? Quem quiser, profissionais, amadores, curiosos, quem quiser saber o que é o nosso dia a dia. A quem possa ser útil.
Os participantes de qualquer dos módulos poderão assistir a espectáculos ou ensaios durante este período. Os ensaios decorrem maioritariamente às tardes de 2a a 6ª das 14h às 18h.
Um calendário semanal será entregue todas as quintas-feiras.

Direcção do Seminário - Jorge Silva Melo

Máximo 12 participantes
Candidaturas mediante CV até 13 de Abril de 2019 / selecção até 28 de Abril de 2019
Um módulo: 80 euros / os dois módulos 150 euros
Inscrições para Pedro Jordão - pjordao@artistasunidos.pt