segunda-feira, 10 de agosto de 2020

E em breve estaremos no Festival de Teatro de Setúbal com UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA de Bohumil Hrabal. No domingo 23 de Agosto. E logo na semana seguinte, voltamos ao Teatro da Politécnica. Na 5ª 27 de Agosto. Já na 4ª 30 de Setembro, estrearemos QUARTOS de Enda Walsh no Teatro da Politécnica. E estão quase a sair 4 Livrinhos de Teatro. E porque não compra livros na nossa livraria online? É tão fácil. É só ir ao site e escolher. Olhe,por exemplo, as peças catalãs que ainda temos disponíveis: Lluisa Cunillé, Benet i Jornet, Pau Miró...

 

UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA a partir do romance de Bohumil Hrabal de e Com António Simão Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos M12

No Festival Internacional de Teatro de Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi, a 23 de Agosto

No Teatro da Politécnica de 27 de Agosto a 19 de Setembro 

“O céu não é humano e o homem que pensa nem sequer pode ser humano.”
Bohumil Hrabal

Criado em 1997, com estreia no CCB, os Artistas Unidos retomam agora, 23 anos depois, um espectáculo criado por António Simão a partir da novela de Bohumil Hrabal, autor maior. Não é uma reposição, é uma revisão da matéria dada.

Em Praga, há uma cave. Brilhante como uma gruta de tesouros. Sombria e suja como um esgoto. Nessa cave há milhares de livros, centenas de ratos, visões passageiras e palavras que tornam o mundo grande. E há um homem, Hanta. Que há 30 anos empurra afectuosamente os livros, os mais belos e mais banais, para a prensa que os tritura e transforma em cubos de papel. Mas Hanta é um “carniceiro terno”. Sabe salvaguardar as palavras guardando-as na memória, para que elas brilhem que nem sóis, e para que esses sóis o ajudem a ver como pode ser a vida de um homem. Por entre a poeira, o suor e o cheiro a cerveja que não pára de beber, Hanta fala-nos.

Evelyne Pieiller

Fotografia © Jorge Gonçalves



QUARTOS de Enda Walsh Tradução Eduardo Calheiros Figueiredo Vozes  Américo Silva e Vânia Rodrigues Cenografia Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Som André Pires Encenação Jorge Silva Melo A Classificar pela CCE

No Teatro da Politécnica de 30 de Setembro a 7 de Novembro

"E foi então que comecei a conversar com o meu quarto – inventando histórias para ursos e bonecas – com a escuridão a ameaçar lá fora."
Enda Walsh, Quarto da Rapariga

A partir de Quarto 303 de 2012, Enda Walsh tem vindo a escrever vários Quartos apresentados como instalações teatrais quer no Festival de Galway quer em Nova Iorque. Apresentamo-los agora aqui, neste pós-confinamento,  A mesma palavra luxuriante, herdeira de Beckett ou Joyce, a mesma claustrofobia (como em Acamarrados ou A Farsa da Rua W), um mundo pobre de onde não se consegue escapar, E, no entanto, há quem se tenha escapado. Um autor maior, um teatro singular.

JSM

Fotografia © Jorge Gonçalves



Livrinhos de Teatro catalães disponíveis na nossa Livraria On-Line:

Lluisa Cunillé:

Livrinho nº 43 - BARCELONA, MAPA DE SOMBRAS APRÉS MOI, LE DÉLUGE
Tradução Ângelo Ferreira de Sousa.

Livrinho nº 66 - O TEMPO / A NOITE / ILUSIONISTAS
Tradução de Ângelo de Sousa

Livrinho nº 133 - 
NEVOEIRO / SUL / DINAMARCA
Tradução de Ângelo Ferreira de Sousa.


Josep M. Benet i Jornet:

Livrinho nº 25 - DESEJO E OUTRAS PEÇAS
Desejo, E.R., O Quarto do Miúdo e Precisamente Hoje
Traduções Ângelo Ferreira de Sousa e Joana Frazão


Pau Miró:

Livrinho nº 83 - JOGADORES/SORRISO DE ELEFANTE
Com apoio às traduções do Institut Ramon Llull

Livrinho nº 108 - VITÓRIA
Tradução de Joana Frazão



segunda-feira, 3 de agosto de 2020

Daqui por dias UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA de Bohumil Hrabal estará em Setúbal, no Festival Internacional de Teatro. No Fórum Municipal Luísa Todi, no domingo 23 de Agosto. Logo na semana seguinte, chegamos ao Teatro da Politécnica. Estreamos na 5ª 27 de Agosto. E porque não compra livros na nossa livraria online? É tão fácil. É só ir ao site e escolher. Olhe,por exemplo, as peças de Pier Paolo Pasolini que ainda temos disponíveis.


UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA a partir do romance de Bohumil Hrabal de e Com António Simão Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos M12

No Festival Internacional de Teatro de Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi, a 23 de Agosto

No Teatro da Politécnica de 27 de Agosto a 19 de Setembro 

“O céu não é humano e o homem que pensa nem sequer pode ser humano.”
Bohumil Hrabal

Criado em 1997, com estreia no CCB, os Artistas Unidos retomam agora, 23 anos depois, um espectáculo criado por António Simão a partir da novela de Bohumil Hrabal, autor maior. Não é uma reposição, é uma revisão da matéria dada.

Em Praga, há uma cave. Brilhante como uma gruta de tesouros. Sombria e suja como um esgoto. Nessa cave há milhares de livros, centenas de ratos, visões passageiras e palavras que tornam o mundo grande. E há um homem, Hanta. Que há 30 anos empurra afectuosamente os livros, os mais belos e mais banais, para a prensa que os tritura e transforma em cubos de papel. Mas Hanta é um “carniceiro terno”. Sabe salvaguardar as palavras guardando-as na memória, para que elas brilhem que nem sóis, e para que esses sóis o ajudem a ver como pode ser a vida de um homem. Por entre a poeira, o suor e o cheiro a cerveja que não pára de beber, Hanta fala-nos.

Evelyne Pieiller

Fotografia © Jorge Gonçalves



Livrinhos de Teatro de Pier Paolo Pasolini disponíveis na nossa Livraria On-Line:

Número 17 - BESTA DE ESTILO
Tradução de Clara Rowland. 

Número 21 - CALDERÓN 
Tradução de António Barahona e Mário Feliciano.

Número 23 - PÍLADES
Tradução de Luiza Neto Jorge e Mário Feliciano.







segunda-feira, 27 de julho de 2020

E UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA de Bohumil Hrabal estará no Festival de Teatro de Setúbal. No domingo, 23 de Agosto, no Fórum Municipal Luísa Todi. E chegaremos, na 5ª 27 de Agosto, ao Teatro da Politécnica, até 19 de Setembro. Também a 19 de Setembro retomamos o ciclo EM VOZ ALTA, em colaboração com a Fundação Dom Luís I, agora com Luís Filipe Castro Mendes. E já viu os recém-chegados à nossa livraria on-line? Cunillé, Vitrac, Neves-Neves!


UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA a partir do romance de Bohumil Hrabal de e Com António Simão Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos M12

No Festival Internacional de Teatro de Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi, a 23 de Agosto

No Teatro da Politécnica de 27 de Agosto a 19 de Setembro 

“O céu não é humano e o homem que pensa nem sequer pode ser humano.”
Bohumil Hrabal

Criado em 1997, com estreia no CCB, os Artistas Unidos retomam agora, 23 anos depois, um espectáculo criado por António Simão a partir da novela de Bohumil Hrabal, autor maior. Não é uma reposição, é uma revisão da matéria dada.

Em Praga, há uma cave. Brilhante como uma gruta de tesouros. Sombria e suja como um esgoto. Nessa cave há milhares de livros, centenas de ratos, visões passageiras e palavras que tornam o mundo grande. E há um homem, Hanta. Que há 30 anos empurra afectuosamente os livros, os mais belos e mais banais, para a prensa que os tritura e transforma em cubos de papel. Mas Hanta é um “carniceiro terno”. Sabe salvaguardar as palavras guardando-as na memória, para que elas brilhem que nem sóis, e para que esses sóis o ajudem a ver como pode ser a vida de um homem. Por entre a poeira, o suor e o cheiro a cerveja que não pára de beber, Hanta fala-nos.

Evelyne Pieiller

Fotografia © Jorge Gonçalves



EM VOZ ALTA 
os nossos poetas
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

19 de Setembro a 23 de Outubro – Luís Filipe Castro Mendes 

Os Artistas Unidos retomam as leituras EM VOZ ALTA, os Nossos Poetas em parceria com a Fundação D. Luís I e a Câmara Municipal de Cascais. Os actores 
Catarina Wallenstein, João Meireles, Lia Gama, Luís Lucas, Manuel Wiborg, Maria João Luís, Nuno Gonçalo Rodrigues e Jorge Silva Melo lêem poetas portugueses Em Voz Alta agora numa versão on-line.

Os spots são disponibilizados ao sábado nas páginas de Facebook do Bairro dos Museus e da Fundação D. Luís e no canal de Youtube da Fundação D. Luís I.

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Jorge Silva Melo



Livrinhos de Teatro

Número 133 - Nevoeiro, Sul, Dinamarca 
de
 Lluïsa Cunillé

Número 134 - Victor ou As Crianças ao Poder de Roger Vitrac

Número 135 - Swimming Pool Party / Banda Sonora de
 Ricardo Neves-Neves 


Já disponíveis na nossa Livraria On-Line.








segunda-feira, 20 de julho de 2020

Em breve voltamos a apresentar UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA de Bohumil Hrabal. Desta vez no Festival de Teatro de Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi, no domingo 23 de Agosto. Logo depois, na 5ª 27 de Agosto voltamos ao Teatro da Politécnica. Já nesta 5ª 23 de Julho, no Facebook e YouTube dos Artistas Unidos temos UMA PEÇA DE CADA VEZ. Recordamos PUNK ROCK de Simon Stephens.


UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA a partir do romance de Bohumil Hrabal de e Com António Simão Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos M12

No Festival Internacional de Teatro de Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi, a 23 de Agosto

No Teatro da Politécnica de 27 de Agosto a 19 de Setembro 

“O céu não é humano e o homem que pensa nem sequer pode ser humano.”
Bohumil Hrabal

Criado em 1997, com estreia no CCB, os Artistas Unidos retomam agora, 23 anos depois, um espectáculo criado por António Simão a partir da novela de Bohumil Hrabal, autor maior. Não é uma reposição, é uma revisão da matéria dada.

Em Praga, há uma cave. Brilhante como uma gruta de tesouros. Sombria e suja como um esgoto. Nessa cave há milhares de livros, centenas de ratos, visões passageiras e palavras que tornam o mundo grande. E há um homem, Hanta. Que há 30 anos empurra afectuosamente os livros, os mais belos e mais banais, para a prensa que os tritura e transforma em cubos de papel. Mas Hanta é um “carniceiro terno”. Sabe salvaguardar as palavras guardando-as na memória, para que elas brilhem que nem sóis, e para que esses sóis o ajudem a ver como pode ser a vida de um homem. Por entre a poeira, o suor e o cheiro a cerveja que não pára de beber, Hanta fala-nos.

Evelyne Pieiller

Fotografia © Jorge Gonçalves



UMA PEÇA DE CADA VEZ
PUNK ROCK 
de Simon Stephens

Lembramos espectáculos que fizemos. Sim, o teatro fica na memória e é segredo entre nós. Mas digam aos outros que existimos. Uma peça de cada vez.

Disponível a 23 de Julho no Facebook YouTube dos Artistas Unidos

Fotografia © Jorge Gonçalves

segunda-feira, 13 de julho de 2020

Esta semana seguimos para as Caldas da Rainha. De 16 a 18 de Julho apresentamos UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA de Bohumil Hrabal no Teatro da Rainha. Sempre às 21h30. E antes de voltarmos ao Teatro da Politécnica, estaremos no Festival Internacional de Teatro de Setúbal, no Fórum Municipal Luísa Todi a 23 de Agosto. E neste sábado, 18 de Julho, temos a última sessão do ciclo Carlos de Oliveira, EM VOZ ALTA, em colaboração com a Fundação Dom Luís I. Segue-se Luís Filipe Castro Mendes, a partir de 19 de Setembro.


UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA a partir do romance de Bohumil Hrabal de e Com António Simão Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos M12

Nas Caldas da Rainha, no Teatro da Rainha de 16 a 18 de Julho

No Festival Internacional de Teatro de Setúbal a 23 de Agosto

“O céu não é humano e o homem que pensa nem sequer pode ser humano.”
Bohumil Hrabal

Criado em 1997, com estreia no CCB, os Artistas Unidos retomam agora, 23 anos depois, um espectáculo criado por António Simão a partir da novela de Bohumil Hrabal, autor maior. Não é uma reposição, é uma revisão da matéria dada.

Em Praga, há uma cave. Brilhante como uma gruta de tesouros. Sombria e suja como um esgoto. Nessa cave há milhares de livros, centenas de ratos, visões passageiras e palavras que tornam o mundo grande. E há um homem, Hanta. Que há 30 anos empurra afectuosamente os livros, os mais belos e mais banais, para a prensa que os tritura e transforma em cubos de papel. Mas Hanta é um “carniceiro terno”. Sabe salvaguardar as palavras guardando-as na memória, para que elas brilhem que nem sóis, e para que esses sóis o ajudem a ver como pode ser a vida de um homem. Por entre a poeira, o suor e o cheiro a cerveja que não pára de beber, Hanta fala-nos.

Evelyne Pieiller

Fotografia © Jorge Gonçalves



EM VOZ ALTA 
os nossos poetas
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos


20 de Junho a 18 Julho – Carlos de Oliveira

19 de Setembro a 23 de Outubro – Luís Filipe Castro Mendes 

Os Artistas Unidos retomam as leituras EM VOZ ALTA, os Nossos Poetas em parceria com a Fundação D. Luís I e a Câmara Municipal de Cascais. Os actores 
Catarina Wallenstein, João Meireles, Lia Gama, Luís Lucas, Manuel Wiborg, Maria João Luís, Nuno Gonçalo Rodrigues e Jorge Silva Melo lêem poetas portugueses Em Voz Alta agora numa versão on-line.

Os spots são disponibilizados ao sábado nas páginas de Facebook do Bairro dos Museus e da Fundação D. Luís e no canal de Youtube da Fundação D. Luís I.


Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Jorge Silva Melo




segunda-feira, 6 de julho de 2020

E é já esta semana que apresentamos UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA de Bohumil Hrabal no Festival de Almada. 6ª 10 a domingo 12, no Incrível Almadense. E seguimos depois para o Teatro da Rainha. Na 5ª, 9 de Julho, lembramos A MÁQUINA HAMLET de Heiner Müller. No Facebook e YouTube dos Artistas Unidos, UMA PEÇA DE CADA VEZ.


UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA a partir do romance de Bohumil Hrabal de e Com António Simão Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos M12

No Festival de Almada, no Incrível Almadense de 10 a 12 de Julho

Nas Caldas da Rainha, no Teatro da Rainha de 16 a 18 de Julho

“O céu não é humano e o homem que pensa nem sequer pode ser humano.”
Bohumil Hrabal

Criado em 1997, com estreia no CCB, os Artistas Unidos retomam agora, 23 anos depois, um espectáculo criado por António Simão a partir da novela de Bohumil Hrabal, autor maior. Não é uma reposição, é uma revisão da matéria dada.

Em Praga, há uma cave. Brilhante como uma gruta de tesouros. Sombria e suja como um esgoto. Nessa cave há milhares de livros, centenas de ratos, visões passageiras e palavras que tornam o mundo grande. E há um homem, Hanta. Que há 30 anos empurra afectuosamente os livros, os mais belos e mais banais, para a prensa que os tritura e transforma em cubos de papel. Mas Hanta é um “carniceiro terno”. Sabe salvaguardar as palavras guardando-as na memória, para que elas brilhem que nem sóis, e para que esses sóis o ajudem a ver como pode ser a vida de um homem. Por entre a poeira, o suor e o cheiro a cerveja que não pára de beber, Hanta fala-nos.

Evelyne Pieiller

Fotografia © Jorge Gonçalves




UMA PEÇA DE CADA VEZ
A MÁQUINA HAMLET 
de Heiner Müller

Lembramos espectáculos que fizemos. Sim, o teatro fica na memória e é segredo entre nós. Mas digam aos outros que existimos. Uma peça de cada vez.

Disponível a 9 de Julho no Facebook e YouTube dos Artistas Unidos

Fotografia © 
Jorge Gonçalves

segunda-feira, 29 de junho de 2020

Na próxima semana estaremos no Festival de Almada com UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA de Bohumil Hrabal. De 10 a 12 de Julho no Incrível Almadense e logo na semana seguinte, estaremos nas Caldas, no Teatro da Rainha de 16 a 18 de Julho. E todos os sábados, até 18 de Julho, podemos ouvir Carlos de Oliveira EM VOZ ALTA. Leituras de poesia portuguesa, agora em novo formato on-line, com a Casa Sommer de Cascais.


UMA SOLIDÃO DEMASIADO RUIDOSA a partir do romance de Bohumil Hrabal de e Com António Simão Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos M12

No Festival de Almada, no Incrível Almadense de 10 a 12 de Julho

Nas Caldas da Rainha, no Teatro da Rainha de 16 a 18 de Julho

“O céu não é humano e o homem que pensa nem sequer pode ser humano.”
Bohumil Hrabal

Criado em 1997, com estreia no CCB, os Artistas Unidos retomam agora, 23 anos depois, um espectáculo criado por António Simão a partir da novela de Bohumil Hrabal, autor maior. Não é uma reposição, é uma revisão da matéria dada.

Em Praga, há uma cave. Brilhante como uma gruta de tesouros. Sombria e suja como um esgoto. Nessa cave há milhares de livros, centenas de ratos, visões passageiras e palavras que tornam o mundo grande. E há um homem, Hanta. Que há 30 anos empurra afectuosamente os livros, os mais belos e mais banais, para a prensa que os tritura e transforma em cubos de papel. Mas Hanta é um “carniceiro terno”. Sabe salvaguardar as palavras guardando-as na memória, para que elas brilhem que nem sóis, e para que esses sóis o ajudem a ver como pode ser a vida de um homem. Por entre a poeira, o suor e o cheiro a cerveja que não pára de beber, Hanta fala-nos.

Evelyne Pieiller

Fotografia © Jorge Gonçalves



EM VOZ ALTA 
os nossos poetas
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos


20 de Junho a 18 Julho – Carlos de Oliveira

Os Artistas Unidos retomam as leituras EM VOZ ALTA, os Nossos Poetas em parceria com a Fundação D. Luís I e a Câmara Municipal de Cascais. Os actores Catarina Wallenstein, João Meireles, Lia Gama, Luís Lucas, Manuel Wiborg, Maria João Luís, Nuno Gonçalo Rodrigues e Jorge Silva Melo lêem poetas portugueses Em Voz Alta agora numa versão on-line.

Os spots são disponibilizados ao sábado nas páginas de Facebook do Bairro dos Museus e da Fundação D. Luís e no canal de Youtube da Fundação D. Luís I.


Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Jorge Silva Melo