segunda-feira, 14 de outubro de 2019

E são as últimas récitas de EMÍLIA de Claudio Tolcachir. Até sábado 19 de Outubro. E até sábado 26 de Outubro, na galeria do Teatro da Politécnica temos DESCONTINUANDO de Nikias Skapinakis. Na 5ª 17 de Outubro, Nuno Gonçalo Rodrigues e Jorge Silva Melo lêem Marcos Foz e Sebastião Belfort Cerqueira, na Casa da Cultura de Setúbal. E a 19 de Outubro, na Casa Sommer, temos POESIA E MÚSICA por Catarina Wallenstein, João Meireles, Jorge Silva Melo e Nuno Gonçalo Rodrigues. E daqui a dias chegamos a Vila Real, para a estreia de VIDAS ÍNTIMAS de Noël Coward. E seguimos logo depois para a Guarda, onde estaremos a 8 de Novembro!


EMÍLIA de Claudio Tolcachir Tradução Maria João Machado Com Américo SilvaAndreia BentoIsabel Muñoz CardosoJoão Estima e Pedro Carraca Cenografia Rita Lopes Alves e José Manuel Reis Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Assistência Inês Pereira Encenação Jorge Silva Melo M14

No Teatro da Politécnica de 11 de Setembro a 19 de Outubro
3ª e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | Sáb. às 16h00 e às 21h00

Emília Há uma altura da vida em que os mortos estão mais presentes do que os vivos. E isso é bonito.
Claudio Tolcachir, Emília

Estamos mesmo alheados daquilo de que os outros precisam? Onde nasce este afastamento? Por alguma razão, todos se amam e essa razão nem sempre é o amor. Talvez o refúgio que Emília procura encontrar nesse antigo amor e na sua família seja a sua ruína. O seu sacrifício. Ou a salvação?
JSM

Fotografia © Jorge Gonçalves



DESCONTINUANDO NIKIAS SKAPINAKIS
Pintura e Desenho - 2018-2019

Na galeria do Teatro da Politécnica de 11 de Setembro a 26 de Outubro
3ª a 6ª das 17h00 | Sáb. das 15h00 até ao final do espectáculo

“Quem diria, quem diria que um dia em salas onde trabalho, iria conseguir apresentar exposições de um dos pintores que mais admirei e admiro? Sim, É o Nikias Skapinakis com novos trabalhos. E desde que fizemos o filme (1999) tenho tido esta alegria: ir vendo – e por vezes expondo – o que, irredutível, inventivo, intransigente, criador ele vai fazendo. É mesmo uma alegria.”
Jorge Silva Melo

Fotografia © Jorge Gonçalves



EM VOZ ALTA 
os nossos poetas 
leituras de poesia portuguesa pelos Artistas Unidos

Eu gosto de ler em voz alta, eu gosto de ouvir poesia lida pelos actores com quem trabalho, eu gosto de poesia lida para várias pessoas, eu gosto de leituras de poesia, ver gente, sentir gente à volta das palavras suspensas do poeta.

Em Setúbal, na Casa da Cultura, às 21h30:
5ª, 17 de Outubro - Novíssima Poesia Portuguesa por Nuno Gonçalo Rodrigues e Jorge Silva Melo.

Em Cascais, na Casa Sommer, às 18h30:
Sábado, 19 de Outubro - Poesia e Música (Pessanha,  Gomes Ferreira, Alberto Lacerda, Blanc de Portugal, Cochofel, Sena, Castro Mendes, entre outros) por Catarina Wallenstein, João Meireles, Nuno Gonçalo Rodrigues e Jorge Silva Melo.

Fotografias © Jorge Gonçalves



VIDAS ÍNTIMAS de Noël Coward Tradução Miguel Esteves Cardoso Com Rúben Gomes, Rita Durão, Tiago Matias, Vânia Rodrigues, Isabel Muñoz Cardoso Cenário e figurinos Rita Lopes Alves e José Manuel Reis Luz Pedro Domingos Encenação Jorge Silva Melo Produção Artistas Unidos Co-Produção Teatro Nacional São João e Centro Cultural de Belém M12

No Teatro Municipal de Vila Real a 31 de Outubro de 2019

No Teatro Municipal da Guarda a 8 de Novembro de 2019

Devem ser muito raras as pessoas que são completamente normais, lá no fundo das vidas privadas de cada um. Tudo depende de um dado conjunto de circunstâncias. Se todas as geringonças cósmicas se fundem ao mesmo tempo e se solta a faísca certa, sabe-se lá o que uma pessoa não será capaz de fazer.

Noël Coward, Vidas Íntimas

"A frivolidade só é frívola para aqueles que não são frívolos", diz a Madame De na obra-prima de Max Ophüls. E podia aplicar-se a este teatro de dinner jackets, champanhe, rosas, camélia e muita malícia. Mas vistas agora estas Private Lives são uma das mais cruéis análises das relações matrimoniais. Sob a doçura de uma primavera na Cote d´Azur quanto veneno, quanta maldade, quanto amor perdido? Uma obra-prima que queremos revisitar, um grande autor "menorizado" e fundamental. Depois de Pinter, Williams, Miller, quem? E com um sorriso de compreensão pelas fraquezas humanas.

Jorge Silva Melo

Fotografia © Jorge Gonçalves

Sem comentários:

Publicar um comentário