sexta-feira, 27 de junho de 2014

E O REGRESSO A CASA de Harold Pinter termina no domingo no TNSJ. E vamos estar em Monção com CANTIGAS DE UMA NOITE DE VERÃO de David Greig. E é o fim da temporada 2013-14.

O REGRESSO A CASA de Harold Pinter 

Tradução Pedro Marques Com João Perry, Rúben Gomes, Maria João Pinho, Elmano Sancho, João Pedro Mamede e Jorge Silva Melo Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Construção Thomas Kahrel Luz Pedro Domingos Fotografias Jorge Gonçalves Assistência Leonor Carpinteiro e Nuno Gonçalo Rodrigues Produção Executiva João Meireles Encenação Jorge Silva Melo Uma ProduçãoTeatro Nacional D. Maria II/Teatro Nacional S. João/Artistas Unidos M16

No Porto, Teatro Nacional S. João, de 13 a 29 de Junho
4ª a Sáb. às 21h30 | Dom às 16h00
Reservas | 22 340 19 10

MAX Se calhar não é má ideia ter uma mulher em casa. Se calhar até é uma coisa boa. Quem sabe? Se calhar devíamos ficar com ela.

Harold Pinter, O Regresso a Casa

Encanta-me trabalhar o teatro exacto de Harold Pinter, os silêncios, o humor, a crueldade, encanta-me a maneira que tem de fazer falar o mais simples objecto, um copo de água, por exemplo. Encanta-me trabalhar com o João Perry, encantam-me estes actores, exactos.

Jorge Silva Melo

O Texto está editado no TEATRO I de Harold Pinter (Relógio d'Água).

Fotografias ©
Jorge Gonçalves


Tradução Pedro Marques (com o apoio do Scottish Arts Council) e a colaboração de Miguel Castro Caldas Com Andreia Bento e Pedro Carraca Músico Miguel Fevereiro Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Agradecimentos Américo Silva Encenação Franzisca Aarflot assistida por Alexandra Viveiros
A estreia foi uma produção Artistas Unidos/Fundação Inatel

Em Monção, Cine Teatro João Verde, a 27 de Junho às 22h00
Reservas
 | 251653215

Espectáculo inserido na iniciativa "Não é um, são dois" de Fernando Alvim

H Olá.

B Desculpa?
H Olá.
B Olá.
H Este lugar está ocupado?
B Não.
H Importas-te que eu –
B Que tu - ? 


Quatro dias de amor, desencontros e encontros. Em pleno verão, em Edimburgo. Está a chover e há este homem e esta mulher.

E pronto, conseguimos estrear David Greig, autor escocês particularmente prolífico que há muito perseguimos. Uma das suas ultimas peças, uma balada. Um trabalho íntimo, no coração do amor. Ou não é da solidão?

Sem comentários:

Publicar um comentário