segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

E lá vamos para GUIMARÃES estrear A MORTE DE DANTON de Georg Büchner. Enquanto em Lisboa, se ultimam os ensaios de...

O RAPAZ DA ÚLTIMA FILA de Juan Mayorga e preparamos a exposição REALMENTE REAL de Jorge Pinheiro.
A MORTE DE DANTON de Georg Büchner

Tradução Maria Adélia e Jorge Silva Melo Com Miguel Borges, Pedro Gil, Sylvie Rocha, João Meireles, Maria João Pinho, Rita Brütt, Afonso Lagarto, Alexandra Viveiros, Américo Silva, António Simão, Elmano Sancho, Estêvão Antunes, Gustavo Vargas, Hugo Samora, Joana Barros, João Delgado, João de Brito, José Neves, Luís Moreira, Marco Trindade, Mafalda Jara, Mirró Pereira, Nuno Bernardo, Nuno Pardal, Pedro Luzindro, Pedro Mendes, Ricardo Neves-Neves, Rúben Gomes, Rui Rebelo, Tiago Matias, Tiago Nogueira, Vânia Rodrigues e estagiários da ESTC (Bernardo Nabais, Damião Vieira, Daniel Viana, Diogo Tormenta, Filipe Velez, Isac Graça, Ivo Silva, João Pedro Mamede, João Ventura, Pedro Loureiro, Rafael Gomes, Ricardo Teixeira) Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Direcção Musical Rui Rebelo Som André Pires Assistência Leonor Cabral e Joana Barros Encenação Jorge Silva Melo Uma produção Teatro Nacional D. Maria II /Artistas Unidos/ Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura M12

No Centro Cultural Vila Flor (Guimarães) a 2 e 3 de Março
6ªf2 e Sáb 3 às 22h00

No Teatro Nacional D. Maria II de
15 de Março a 22 de Abril
4ªf a Sáb às 21h00 | Dom às 16h00

Tradução de António Gonçalves Com António Filipe, Andreia Bento, Maria João Falcão, Pedro Carraca, Marc Xavier e Pedro Gabriel Marques Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Colaboração Artística Daniel Fernandes Luz Pedro Domingos M12

No Teatro da Politécnica de 7 de Março a 14 de Abril
4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | sáb às 16h00 e às 21h00
Reservas | 961960281 | 213916750 (dias úteis 10h às 18h)

Juana A literatura não ensina nada.
Germán Ah, não?
Juana. Não nos torna melhores.

Uma das coisas que descobri quando era professor é que ninguém escolhe a última fila em vão. Nem sempre um rapaz a escolhe por ser o malandro, a última fila é aquela de onde se vê todos os outros sem se ser visto – é a fila do escritor, do artista.

Juan Mayorga

O texto está editado nos Livrinhos de Teatro (nº30).
JORGE PINHEIRO Realmente Real

Inauguração a 7 de Março às 21h00

No Teatro da Politécnica de 7 de Março a 21 de Abril
3ªf | 15h00 às 17h00 (entrada pelo Museu)
4ªf | 17h00 (até final do espectáculo)
5ªf/6ªf | 17h00 (até final do espectáculo)
Sáb | 15h00 (até final do espectáculo)

Mostradas no Porto, na Galeria Fernando Santos, chegam ao nosso teatro as deslumbrantes esculturas que Jorge Pinheiro realizou a partir de projectos que foi fazendo desde os anos 60. E delas se diz "concepção 68/ anos 70... execução 2010". Ou, di-lo o próprio artista que são uma "reencarnação nesta existência realmente real".

Esta exposição em que o "realmente virtual" se torna finalmente "realmente real", resgata um capítulo da história da arte portuguesa da fatalidade de se manter no limbo de uma realidade condicional para a alegria de se tornar um presente indicativo - é um regresso ao futuro.

João Pinharanda

Sem comentários:

Publicar um comentário